6 de maio de 2017

O calor das coisas - Nélida Pinõn, (RJ: Nova Fronteira,1980)

“Não sabes então que me amas, amas-me muito mais que podes saber. Mas mesmo sem o socorro da tua consciência. E se não me amas com a paixão do meu amor, te ensinarei novamente a amar-me. Não te peço tempo, dias, horas. Sou mulher das longas estações. Serei verão quando exigires calor.”

Nenhum comentário: