21 de março de 2016

Sou eu .... Ana Jácomo

Eu acredito que a maior expressão da intimidade
é desnudar a alma.
Que, principalmente para isso, há que se ter coragem.
Podemos viver uma vida inteirinha sem conseguir perder
esse tipo de recato.
Desnudar a alma é mostrar para o outro: isso aqui sou eu.
Isso aqui também sou eu. E isso e isso e isso.
Isso que você não imagina nem em sonho, acredita,
sou eu de vez em quando.
Isso que nem é confortável admitir porque contradiz, na prática,
a minha fala, sou eu.
Isso que escapole do meu controle, das minhas estratégias,
dos meus planos, do meu discurso.
Isso que não acontece no tempo do relógio.
Isso que é lugar que está fora de qualquer mapa
que alguém possa conseguir para localizar onde estou.
Isso que nem sei direito o que é, de tão novo, sou eu.
Isso que nem sei mais direito o que é, de tão antigo, sou eu.
Isso, lindo à beça, sou eu. Isso, complicadinho assim, sou eu.
E mais um monte de coisas que nem posso mostrar
porque não conheço ainda e talvez nunca descubra.