6 de julho de 2016

O tempo - Olindo Santana (http://poesiaretratodaalma.blogspot.com.br)

E se de presente eu te entregasse o tempo,
para que não mais tivesses pressa.
E não mais pensasse no teu futuro
porque no meu passado é mais seguro.
E se eu o amarrasse a tua cintura
para que ele corresse
de acordo com os teus movimentos.
E o universo inteiro se fizesse em silêncio,
na hora em que você girasse,
e com tanto poder de consentimento,
no universo, só o teu tempo andasse.
E se o tempo te trouxesse as estrelas,
e as estrelas tivessem tempo só de vê-la.
E de servi-la, e de adorá-la.
E quando eu não mais tivesse tempo,
o teu tempo você me emprestasse,
para que os meus sonhos não voassem,
e nos meus sonhos você mandasse,
o tempo que desejasse.
Acreditarias no meu amor?
Ou apenas dirias que eu sou louco
e o meu tempo agora é pouco,
porque você já me acordou.
A verdade, é que não há tempo
que o meu tempo não te doou.

Nenhum comentário: