30 de março de 2016

Antes do nome - por Adélia Prado

by Ise Ananphada

Não me importa a palavra, esta corriqueira.
Quero é o esplêndido caos de onde emerge a sintaxe,
os sítios escuros onde nasce o “de”, o “aliás”,
o “o”, o “porém” e o “que”, esta incompreensível
muleta que me apóia.
Quem entender a linguagem entende Deus
cujo Filho é Verbo. Morre quem entender.
A palavra é disfarce de uma coisa mais grave, surda-muda,
foi inventada para ser calada.
Em momentos de graça, infrequentíssimos,
se poderá apanhá-la: um peixe vivo com a mão.
Puro susto e terror.

29 de março de 2016

O mar dos meus olhos - Sophia de Mello Breyner Andresen, in Obra Poética, (Porto, 06/11/1919 – Lisboa, 02/07/2004)

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma

28 de março de 2016

amor - Tião Martins

amor

essa coisa tão vulgar
tão popular
tão fácil de achar
de perder
e não encontrar
mais

amor

essa coisa pra vender
pra alugar
e até
parcelar
em suaves prestações
normais

amor

te encontro em fotos
poemas
músicas
e cinemas
nos vários sistemas
naturais

amor

por favor
não vá embora
pois não veja
a hora
de te resgatar
respirar seu boca a boca
pra depois te afogar.

27 de março de 2016

gentileza de sobra ..... Dan Cezar

Pois que se rasguem os dramas, as tramas estranhas, as barganhas não ganhas em um mundo permeado de almas rasas. Pois elas te cercam, te querem, te alijam, te enganam. Tentam do dia, fazer noite, e da recompensa noturna, tumulto. Eis que se lembre que, por serem rasas, não sobrevivem na fé, não vangloriam vitórias, não celebram conquistas. Um sorriso é vacina. Um abraço, porrada. A verdade, derrota. Cerquemo-nos de vis sombras, e coloquemos a alegria e o amor no altar maior do dia de hoje. Coração feliz, gentileza de sobra e delicadeza aos montes!

26 de março de 2016

encontro... Priscila Rôde

(...)

O verdadeiro encontro nasce na Alma e nela se deita para compor seus inteiros. Encontro bom é Encontro-Templo: lar consagrado que só abriga o que faz transbordar imensos – um sopro, um pensamento, eternidades.
Por ele – e só por ele – ficaremos...

25 de março de 2016

De nós... Marília Felix

No meio de todas as inconstâncias, algo se fazia constante. Nada que pudesse explicar, mesmo que tentasse. Nada que fizesse parar de bater. Insaciável. Imprescindível. A parte mais bonita do que eu sou. Um coração que vibra nos extremos de dois nós. De nós! Tem cheiro. Tem sabor. Liberdade de sentir e estar. Necessidade de cada instante. Alegria de qualquer lugar. De tão tudo chega a ser próximo, mesmo na distância que é.

24 de março de 2016

Ecloga - Nuno Judice

Sonhei contigo embora nenhum sonho
possa ter habitantes, tu a quem chamo
amor, cada ano pudesse trazer
um pouco mais de convicção a
esta palavra. É verdade o sonho
poderá ter feito com que, nesta
rarefacção de ambos, a tua presença se
impusesse - como se cada gesto
do poema te restituísse um corpo
que sinto ao dizer o teu nome,
confundindo os teus
lábios com o rebordo desta chávena
de café já frio. Então, bebo-o
de um trago o mesmo se pode fazer
ao amor, quando entre mim e ti
se instalou todo este espaço -
terra, água, nuvens, rios e
o lago obscuro do tempo
que o inverno rouba à transparência
da fontes. É isto, porém, que
faz com que a solidão não seja mais
do que um lugar comum saber
que existes, aí, e estar contigo
mesmo que só o silêncio me
responda quando, uma vez mais
te chamo.

23 de março de 2016

impulso ...... Fernanda Gaona

Artist and Graphic designer Igor Morski 

Eu vou nomeando meus sonhos um por um.
Colocando metas, fazendo projetos,
com os dedos cruzados e minhas melhores vibrações.
Claro que eu me frustro, faz parte da vida.
Mas meu chão eu fiz de mola.
Posso cair todos os dias, mas o
resultado da minha queda é o impulso.

22 de março de 2016

permitir que voe ..... Caio Fernando Abreu

“Coragem, às vezes, é desapego.
É parar de se esticar,
em vão, para trazer a
linha de volta.
É permitir que voe
sem que nos leve junto.
É aceitar que a esperança
há muito se desprendeu do sonho.
É aceitar doer inteiro
até florir de novo.
É abençoar o amor, aquele lá,
que a gente não alcança mais.”

21 de março de 2016

Sou eu .... Ana Jácomo

Eu acredito que a maior expressão da intimidade
é desnudar a alma.
Que, principalmente para isso, há que se ter coragem.
Podemos viver uma vida inteirinha sem conseguir perder
esse tipo de recato.
Desnudar a alma é mostrar para o outro: isso aqui sou eu.
Isso aqui também sou eu. E isso e isso e isso.
Isso que você não imagina nem em sonho, acredita,
sou eu de vez em quando.
Isso que nem é confortável admitir porque contradiz, na prática,
a minha fala, sou eu.
Isso que escapole do meu controle, das minhas estratégias,
dos meus planos, do meu discurso.
Isso que não acontece no tempo do relógio.
Isso que é lugar que está fora de qualquer mapa
que alguém possa conseguir para localizar onde estou.
Isso que nem sei direito o que é, de tão novo, sou eu.
Isso que nem sei mais direito o que é, de tão antigo, sou eu.
Isso, lindo à beça, sou eu. Isso, complicadinho assim, sou eu.
E mais um monte de coisas que nem posso mostrar
porque não conheço ainda e talvez nunca descubra.

12 de março de 2016

Para Além da Curva da Estrada - Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos" - Heterónimo de Fernando Pessoa

Para além da curva da estrada
Talvez haja um poço, e talvez um castelo,
E talvez apenas a continuação da estrada.
Não sei nem pergunto.
Enquanto vou na estrada antes da curva
Só olho para a estrada antes da curva,
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva.
De nada me serviria estar olhando para outro lado
E para aquilo que não vejo.
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos.
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer.
Se há alguém para além da curva da estrada,
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada.
Essa é que é a estrada para eles.
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos.
Por ora só sabemos que lá não estamos.
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva
Há a estrada sem curva nenhuma.

7 de março de 2016

Insanidade juvenil - Elizabeth M.B.Mattos, em http://amorasazuis.com

Escapou o que ia dizer. Esqueci. Da história, o grito. Quero repetir, derramar o amor. Na verdade esta conversa atravessada, cibernética, escrita, ou a vontade grande de encontrar, dar as mãos, e sair cabelo ao vento parece a melhor loucura das loucuras. Fomos atropelados pela insanidade da juventude. E nosso corpo, pobre! esconde a vontade, mas se defende, reage rijo. Como é mesmo amar outra vez depois de tanto tempo? Será que as marcas de perigo, encontro, reencontro não serão visíveis no abraço? Que não seja definitivo, mas possível… Fico aqui pensando. Atrás da janela te espero, não pela porta que vais entrar. Voaremos. O que preciso? Que venhas, passes devagar, passo manso, pela mesma janela, pelo sonho, e voaremos. Eu volto a te espiar. Desejar. Era assim noutros tempos. Apaixonado por outras meninas, outras mulheres seguiste. Eu cruzei por outros homens. Porque nós dois ficamos namorando sem tocar, a pensar sem dizer. Tudo se escondia. Ou voava. Que eu sinta tudo outra vez, como a manivela do realejo, a mesma música, faço para mim o exercício repetido de te pensar.

6 de março de 2016

Esbarrar no seu olhar - Rafael Revadam

E aí me surge o medo. O medo dessas pessoas que andam entre plataformas de trem e metrô sendo sociais em suas telas de celular e tentando fugir de qualquer olhar que seus olhos possam esbarrar.

4 de março de 2016

Cat Stevens - Wild World (1970)

Now that I've lost everything to you
You say you wanna start something new
And it's breakin' my heart you're leavin'
Baby, I'm grievin'
But if you wanna leave, take good care
I hope you have a lot of nice things to wear
But then a lot of nice things turn bad out there

[Chorus:]
Oh, baby, baby, it's a wild world
It's hard to get by just upon a smile
Oh, baby, baby, it's a wild world
I'll always remember you like a child, girl

You know I've seen a lot of what the world can do
And it's breakin' my heart in two
Because I never wanna see you a sad girl
Don't be a bad girl
But if you wanna leave, take good care
I hope you make a lot of nice friends out there
But just remember there's a lot of bad and beware

[Chorus]
Oh, baby, baby, it's a wild world
It's hard to get by just upon a smile
Oh, baby, baby, it's a wild world
I'll always remember you like a child, girl

Baby, I love you
But if you wanna leave, take good care
I hope you make a lot of nice friends out there
But just remember there's a lot of bad and beware

[Chorus]
Oh, baby, baby, it's a wild world
It's hard to get by just upon a smile
Oh, baby, baby, it's a wild world
I'll always remember you like a child, girl

2 de março de 2016

Isso... por Cáh Morandi

Quando você perder a
Contagem das batidas do
Coração e sentir como se o peito
Não mais suportasse
Tamanha pressão...

Quando você tem a doce
Sensação de que pode
Erguer seus braços
Sem ficar nas pontas dos pés
E tocar no fundo do céu...

Isso é o amor,
Porque em nada
Precisa de medida exata...
Ele só precisa ser sentido,
Ser permitido dentro de nós,
Ser nosso ar, ser nosso chão,
Ser sempre nosso melhor momento.