4 de outubro de 2014

das rosas vermelhas por Úrsula Avner


rosas vermelhas
não falam
gritam
vestidas de gala
abrasam o tom
da pele
do céu do desejo

a paixão
vem como
mar caudaloso
cabe e não cabe
em qualquer lugar
hoje não coube em mim

sobejou

despejo
em camadas
ondas
sem freio
sem pudor
sem fim

Nenhum comentário: