19 de setembro de 2014

Rotunda Qualquer por Sueli Maia ---- Say My Name by Oksana Grigorieva


Há uma voz surgindo do escuro. Há um pano de fundo entre o palco e o camarim. Há uma rotunda qualquer entre o vulto e a meia luz iluminando devagar. Há uma cadeira entre o chão e o teto. Há uma linha entre o linho e o leito a cobrir. Há um texto a ser dito entre o teu nome e toda palavra inaudita. Há uma verdade entre os dentes e outra entre o silêncio e o grito. Há sempre o entre, entre as pernas, o ventre e a luz. Há um abismo entre o ser nada e o tudo que há. Há sempre um blues a cantar entre a bebida e a voz. E entre um texto qualquer repetido, eu ainda te vejo em tudo ao redor. E entre a chama e isto que chamo, hás. E no tanto do nada que é isto tudo que ora sinto, eu chamo o teu nome.

Nenhum comentário: