9 de julho de 2014

Da reta intenção por Talita Prates


Ela queria a inteireza dos que se buscam com intenção reta,
ainda que tropecem.
Queria um olhar puro e perspicaz que reconhecesse
a (im)pureza do olhar alheio.

"Decepcionar-se é surpreender-se às avessas", deduzia.
Porque ela é daquelas que, imprudentemente, procura acreditar com toda a sua vontade na bondade do Outro. Pensava que só o encontro de duas verdades que aspiram a serem inteiras e autênticas (nunca perfeitas e prontas) possibilita o Encontro real de duas almas.
Acreditava na construção dessa realidade em comum, desde que os alicerces não fossem feitos de areia. E que a intenção (fosse) seja sempre reta. Sempre.
Paredes tortas arruínam a casa.

2 comentários:

Abdelcarin Aljon disse...

Boa tarde querida,

Esse texto da Talita Prates é belíssimo e verdadeiro... muito (muitíssimo) abrangente...
Para sua compreensão precisamos ler o que também está nas entrelinhas... (sei que sua intenção foi essa)...
Oportunidade divina para uma reflexão... devemos permitir o nosso espírito deslizar na imensidão deste Universo proposto por Talita...
Recomeçar, reconstruir-se é bom... nem sempre é fácil... mas com força e determinação tudo se consegue... mesmo porque tudo é efêmero... a vida é muito curta...apenas uma passagem...nunca podemos esquecer que por vezes encontramos pérolas na areia... eis a beleza da vida...

Saudades!!!!
Bauce!
Ab :=)

Elaine Faria disse...

Obrigada querido!

Amo suas visitas... seus comentários são preciosos e sempre dão um brilho especial as postagens do Atemporal
Obrigada por sua doce amizade!

Boa semana!
Beijos!
Elaine :)