19 de julho de 2014

Clarice Lispector... Fragmentos


"Estou andando pela rua e do vento me cai uma folha exatamente nos cabelos.
(...)
Isso me acontece tantas vezes que passei a me considerar modestamente a escolhida das folhas. Com gestos furtivos tiro a folha dos cabelos e guardo-a na bolsa, como o mais diminuto diamante. Até que um dia, abrindo a bolsa, encontro entre os objetos a folha seca, (...), morta.
Jogo-a fora (...) também porque sei que novas folhas coincidirão comigo.
Um dia uma folha me bateu nos cílios.
Achei Deus de uma grande delicadeza."

Nenhum comentário: