25 de fevereiro de 2014

Texto de "Um Ourives das Palavras" do romance "Night Train to Lisbon" de Pascal Mercier



"Deixamos algo de nós para trás ao deixarmos um lugar, permanecemos lá apesar de termos partido.
E há coisas em nós que só reencontramos lá voltando.
Viajamos ao encontro de nós ao irmos a um lugar onde vivemos uma parte da vida, por muito breve que tenha ela sido." (Amadeu de Almeida Prado)


“Raimund Gregorius é um homem culto, professor de línguas clássicas. Um dia se levanta durante uma aula e sai da sala. Assustado com a súbita consciência do tempo que se esvai, deixa para trás sua rotina bem organizada e pega o trem noturno para Lisboa.
Na bagagem, leva um livro do português Amadeu de Prado, que caiu em suas mãos por acaso, e que tece reflexões sobre as múltiplas experiências da vida, solidão, finitude e morte, amizade, amor e lealdade. Fascinado pelo livro, Gregorius tenta compreender o misterioso escritor.
Ao longo das investigações que o levam a atravessar Lisboa, ele encontra pessoas que conheceram Prado e que lhe contam detalhes sobre ele. Passo a passo, constrói a imagem de um médico e poeta admirável que lutou contra a ditadura de Salazar.
Tornou-se médico com o propósito de ajudar os pobres e gozou de uma enorme popularidade em seu bairro até salvar a vida de um odiado oficial da polícia secreta. Depois disso, as mesmas pessoas que o haviam venerado passaram a evitá-lo. Na tentativa de se redimir, trabalhou para a oposição clandestina.
Gregorius se descobre na antítese de Prado, que foi um homem inquieto, capaz de desafiar os pontos de vista ortodoxos. Agora, através de sua influência póstuma, o professor é impulsionado a mudar. Mas o que significa conhecer outra pessoa, compreender outra vida? O que acrescenta para o conhecimento de nós mesmos? É possível fugir da rotina?
Este romance é a epopeia multifacetada de uma viagem através da Europa e do nosso pensar e sentir”. (Marcelo Zaniolo)

Um comentário:

Lino Soares disse...

Assistir este filme ontem, terça-feira (07/06/2013) e amei. Por isso cheguei até aqui!