28 de fevereiro de 2014

Eu não te amo por Talita Prates


ah, já é tão tarde pra dizer que é cedo 

e o que está dentro ainda causa medo; 

te peço agora que me deixes ir. 


ah, se ao me conhecer 

perdeste os sonhos e teus devaneios, 

se aos meus rios teu barco é alheio 

te digo que é hora de seguir. 


se'os nós do teu passado ainda são presentes 

se eles te fazem, de nós, tão ausente, 

estrada não há melhor que a de partir. 


se meu coração não foi pra ti um céu, 

se, teu destino, tu crês num papel 

a minha sorte é poder esquecer. 


quando eu ponho ordem nas minhas gavetas 

tuas cartas risco com minhas canetas 

para impedir tuas letras de viver. 


quando o nosso amor eu supus tão divino 

teus atos me alertaram o desatino, 

mas já'era tarde pra tentar fugir. 


sim, tanto me salva me fingir de tonta 

negar o amor pra te fazer afronta, 

agora conta: como hei de mentir? 


(PS: que Tom e Chico me perdoem a heresia desse re-canto, Talita Prates) 


Fonte: http://www.historiadaminhaalma.com.br

Nenhum comentário: