19 de fevereiro de 2014

Amanhecido por Márcio Ares


toma 
bebe e come esta noite que te resta 
assim do meu lado 
não muito longe da palavra que esconde 
o meu amor sem reservas 
mas tímido, ainda, 
um tanto verso de um pouco espanto 
mas vem, anda logo, me leva 
feito a noite que toma 
o amor que nos acontece 
bebe e come o tempo que nos resta 
em versos bem sem tamanho 
o repente que nos protege 
sob o tempo se indo 
profano e lícito e lindo 
até o infinito sangrando o céu


Fonte: http://blogdomarcioares.blogspot.com.br

3 comentários:

Anônimo disse...

Procurei pelo meu nome e dei com tal homenagem. Obrigado pelo carinho tanto. Se escolheu é porque foi bonita a palavra. Beijo na alma. Márcio Ares.

Elaine Faria disse...

Olá Márcio,

Seus poemas são belos e de uma sensibilidade única.
Encontrei seu blog por acaso e foi amor a primeira vista. Só lamento que você tenha deixado de postar nais poemas em seu blog, gosto de passar por lá e me esquecer nas tuas palavras.
Grande abraço! : )

Anônimo disse...

Bom o puxão de orelha. Entretido demais com a correria do Quartel. Vou levar alguns novos textos pra lá. Beijo na alma.