6 de dezembro de 2013

O eterno retorno por Friedrich Nietzsche


Tudo vai, tudo volta; 
eternamente gira a roda do ser.
Tudo morre, tudo refloresce,
eternamente transcorre o ano do ser.
Tudo se desfaz, tudo é refeito; 
eternamente constrói-se a mesma casa do ser. 
Tudo se separa, tudo volta a se encontrar; 
eternamente fiel a si mesmo 
permanece o anel do ser.
Em cada instante começa o ser; 
em torno de todo o "aqui" 
rola a bola "acolá". 
O meio está em toda parte. 
Curvo é o caminho da eternidade.

Nenhum comentário: