22 de dezembro de 2013

Acalma-te, coração - Rabindranath Tagore

                                                    A. Andrew GONZALES 

Acalma-te, coração, e não te deixes
perturbar.

Silencia minha boca, 

e não emitas som algum.
Espera, sentimento meu,
e não te deixes molestar pelo medo
ou pela ansiedade.
A madrugada espia as estrelas quando
a noite atinge o apogeu, e o grão, que
se arrebenta no solo, transforma-se em vida.
Ama o tempo.
As crianças crescem.
Os rios se movimentam.
As nuvens correm pelo ar.
Assim também, as dádivas do meu Rei
chegarão aos teus desejos tranquilos,
no momento próprio. 



Rabindranath Tagore (em bengali: রবীন্দ্রনাথ ঠাকুর; 7 de maio de 1861 - 7 de agosto de 1941), alcunha Gurudev, foi um polímata bengali. Como poeta, romancista, músico e dramaturgo, reformulou a literatura e a música bengali no final do século XIX e início do século XX. Como autor de Gitânjali, que em português se chamou "Oferenda Lírica" e seus "versos profundamente sensíveis, frescos e belos", sendo o primeiro não-europeu a conquistar, em 1913, o Nobel de Literatura, Tagore foi talvez a figura literária mais importante da literatura bengali. Foi um destacado representante da cultura hindu, cuja influência e popularidade internacional talvez só poderia ser comparada com a de Gandhi, a quem Tagore chamou 'Mahatma' devido a sua profunda admiração por ele.

Um brâmane pirali de Calcutá, Tagore já escrevia poemas aos oito anos. Com a idade de dezesseis anos, publicou sua primeira poesia substancial sob o pseudônimo Bhanushingho ("Sun Lion") e escreveu seus primeiros contos e dramas em 1877. Tagore condenava a Índia britânica e apoiou sua independência. Seus esforços resistiram em seu vasto conjunto de regras e na instituição que ele fundou, Universidade Visva-Bharati.

Tagore modernizou a arte bengali desprezando as rígidas formas clássicas. Seus romances, histórias, canções, danças dramáticas e ensaios falavam sobre temas políticos e pessoais. Gitanjali (Ofertas de Música), Gora (Enfrentamento Justo) e Ghare-Baire (A Casa e o Mundo) são suas mais conhecidas obras. Seus versos, contos e romances foram aclamados por seu lirismo, coloquialismo, naturalismo e contemplação. Tagore era talvez o único literato que escreveu hinos dos dois países: Bangladesh e Índia: Hino nacional de Bangladesh e Jana Gana Mana.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um comentário:

David Lança disse...

Que belo post este, Elaine!
Um grande poeta, autor, entre muitos outros livros, de "A Casa e o Mundo", que vi há muitos anos adaptado ao cinema, realizado por Satyagit Ray (um clássico).
E que belos poemas os de Tagore!
Um ser espiritualmente muito evoluído.
Abraço, Elaine Faria.
David