3 de maio de 2012

Achando-me... por Marina Bevilaqua


Invento o momento

Na linha curva da poesia

Curvo-me na bondade da emoção

E firo-me na crueldade das palavras

Amo as coisas e me equilibro

Amo as pessoas e me despedaço

No meio termo de tudo

Penduro-me no arco-íris

Entre o céu e a terra

Escolhendo o sonho na cor vermelha

E escorrego para o roxo

Que de violetas me cobre

Vivo o tempo

Morro no espaço

Com coragem e a fraqueza



Dos que simplesmente vivem

Certa calço sapatos velhos

Macios nos passos

Fecho as pálpebras

Olho para dentro de mim

E devagar devagar

Acho-me na luz que ontem perdi

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bonito o teu blog!
Gostei muito! Farei outras visitas.
Obrigado por acariciar nossos olhos e ouvidos com textos, imagens e sons maravilhosos!
Boa noite!
Abraços!

Roberto Andrade