25 de março de 2012

Paris um filme de Cedric Klapisch



Paris conta a historia de um parisiense (Romain Duris) que repentinamente descobre sofrer de uma grave doença. E a consciência de ter pouco tempo de vida lhe da um olhar novo e diferente sobre a cidade e sobre as outras pessoas. Paradoxalmente, o fato de estar prestes a encarar a morte faz com que ele passe a valorizar sua própria vida, a vida dos outros e a relação das pessoas com a cidade. Uma assistente social com três crianças que precisa cuidar do irmão doente (Juliette Binoche, magistral como sempre), um feirante em busca do amor verdadeiro, um professor de faculdade apaixonado, um imigrante clandestino camaronês cheio de sonhos... Vidas de pessoas tão diferentes que se cruzam e se fundem dentro da cidade de Paris - muitas vezes sem que se deem conta dessa ligação. Vidas que passam a ter uma importância especial para um parisiense anônimo que começa a morrer - sobretudo de amor pela cidade e pelas pessoas que passam pela janela de seu apartamento.
Na historia, não existem mocinhos nem bandidos. Trata de contar a vida de pessoas simples, com qualidades e defeitos. Pessoas com problemas que podem parecer insignificantes para os outros, mas que muitas vezes são os mais importantes do mundo para quem os vive.







 


 Paris é um filme tocante. Sobre a vida. Sobre a maneira particular com a qual cada um enxerga as relações humanas no contexto cotidiano. Um filme que não poderia se passar em nenhum outro lugar do mundo - Klapisch filma Paris como quem filma um personagem. Vemos na obra de Klapisch não a Paris turística e glamorosa, mas a Paris de todo dia, com trânsito, com gente que acorda cedo para trabalhar saindo apressada de casa, com barulho de britadeira... Mas que ainda assim mantém sua atmosfera irretocável de charme, encantamento e carinho com seus habitantes. E é justamente esse o perfil da cidade que mais encanta. 


Fonte: Blog Viver Paris - Jackson Martins


Nenhum comentário: