24 de janeiro de 2011

O amor ficava próximo ... Augusto Frederico Schmidt


O amor ficava próximo.

Muitas vezes ouvíamos
Sua voz ansiosa
Procurando se revelar,
Ouvíamos o seu frêmito.
Sabíamos que ele estava triste
Por não rompermos as fronteiras
Que nos separavam.
Ele queria a fusão absoluta
E impossível.
Queria que sentíssemos
indistintamente
Que fôssemos um único ser,
Que nos confundíssemos
E nos penetrássemos.
No entanto, raramente,
Vivíamos a unidade.
Nossas almas pousavam
Raramente no mesmo galho,
E embora vivêssemos no mesmo ninho
Tínhamos consciência de que nos preparávamos
Para os grandes vôos
Solitários.

Nenhum comentário: