14 de janeiro de 2011

(...) mãos jardineiras... por Artur da Távola


"Tenho visto muito amor por aí,
Amores mesmo, bravios, gigantescos, descomunais, profundos, sinceros,
cheios de entrega, doação e dádiva, mas esbarram na dificuldade de se tornar bonito.
Apenas isso: bonitos, belos ou embelezados,
tratados com carinho, cuidado e atenção.
Amores levados com arte e ternura de mãos jardineiras."

Nenhum comentário: