5 de dezembro de 2010

Coração Louco (Crazy Heart) - Jeff Bridges: The Weary Kind


Your heart's on the loose
You rolled them seven's with nothing lose
And this ain't no place for the weary kind
You called all your shots
Shooting 8 ball at the corner truck stop
Somehow this don't feel like home anymore
And this ain't no place for the weary kind
And this ain't no place to lose your mind
And this ain't no place to fall behind
Pick up your crazy heart and give it one more try
Your body aches'
Playing your guitar and sweating out the hate
The days and the nights all feel the same
Whiskey has been a thorn in your side
and it doesn't forget
the highway that calls for your heart inside
And this ain't no place for the weary kind
And this ain't no place to lose your mind
And this ain't no place to fall behind
Pick up your crazy heart and give it one more try
Your lovers won't kiss'
It's too damn far from your fingertips
You are the man that ruined her world
Your heart's on the loose
You rolled them seven's with nothing lose

And this ain't no place for the weary kind


Pegue um cantor de música country no apogeu da decadência, adicione mais uma dose álcool, misture alta velocidade, a dor de cotovelo e uma complicada paixão pela jornalista Jean Craddock (Maggie Gyllenhaal) recém saída da Universidade e de um relacionamento além de um filho para criar.

Agora, imagine um homem de meia idade, solitário, padecendo da praga judaico-cristã que é essa desenfreada comiseração. Entre umas e outras, Jeff Bridges sabe, como ninguém, prender o espectador a cada trama que desempenha. Atar talvez fosse a palavra correta para expressar o resultado da performance de Bridges, vivendo Bad Blake. O ator nos ata aos dramas, às espeluncas em que Bad Black canta, muitas vezes por um trago.

Estou falando de Coração Louco (Crazy Heart) filme que deu a Jeff Bridges o Oscar de Melhor Ator. "The Weary Kind", composição de Ryan Bingham, cuja letra diz "Seu corpo dói...Tocando guitarra e eliminando o ódio no suor. Os dias e as noites parecem todos iguais".


O diretor Scott Cooper soube, com maestria, mesclar personagens fictícios com elementos da vida real de três marcantes cantores de country, Kris Kristofferson, Merle Haggard e Waylon Jennings. O resultado é Bad Blake. Perfeito para este domingo. Divirtam-se!


Fontes: Adorocinema e The RAD Report

Nenhum comentário: