11 de setembro de 2010

Dolce! Mio Furore... por Allan Souza


Dolce! Mio Furore...


Ó furor! Gênio que me tens ao brado de eras!
Suntuosidade ao bailar de instinto e razão
Mostrando-me que além do homem e do leão
Existe uma fera acima de todas as feras


Entregando-se dócil à inocência de uma caçada
Vais longelínea e feroz com sua vasta imponente juba
- Manto a enaltecer a queda da presa ensanguentada
Ou a marcar a terra com indômita fúria diante à turba


De bestas atrozes - hálito de morte e de fome!
Este ímpeto interior que nos consome
Vocifera majestoso aos confins dos mistérios da vida,


Esta fera indômita não tem nome!
Rasga em sangue lava a entranha aturdida
Da Razão, ao raiar dos dias, renascida!


(Por Allan Souza...Meu querido e doce amigo. Obrigada caríssimo pela linda poesia a mim dedicada - mio cuore è felice!)

Nenhum comentário: