11 de julho de 2008

Silêncio! Minha mãe está sorrindo... por Danilo

(Maria Ignêz Martins Faria - 12/06/1928 a 18/06/2008)

Silêncio! Minha mãe está sorrindo.

Som celestial, coro de vozes de arcanjos,
derramando melodia sobre seu sorriso lindo,
vivifica a divina paz do seu semblante
e a ternura usual do seu olhar de anjo.
Nenhum ruído abafe esse som contagiante,
sofrimento não turve no seu rosto a alegria,
Nuvens não encubram esse seu deslumbramento
de aconchegar-se à vida, com sublime maestria.

Silêncio! Minha mãe está sorrindo

sem temores, para um amanhã incerto.
E a esperança, nesse tímido sorriso aberto,
é a mola propulsora que a encoraja a viver,
transpor limites e entre nós permanecer.
Nesses enfrentamentos, dissabores são detalhes
esquecidos, certamente, pelas esquinas do tempo.
As rugas no seu rosto são primorosos entalhes
esculpidas, suavemente, por sábio envelhecimento.

Silêncio! Minha mãe está sorrindo

para os meus sombrios medos, placidamente.
E as lágrimas que florejam nos meus olhos,
por suas mãos enxugadas, amorosamente,
quando em seu colo reencontro meu abrigo,
trazem cheiros de infância num eco saudosista.
E descanso confiante, removendo meus escolhos,
no santuário generoso do seu regaço de amiga.

Silêncio! Minha mãe está sorrindo…

Um comentário:

fabio disse...

Elaine, vc conseguiu uma poesia muito sensível e que me tocou fundo no coração. Nossa mãe seguramente está sorrindo para essa homenagem tão bonita. Bjs, Fábio